sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Reflexão do dia

Uma história radicalmente condensada da vida pós-industrial

Quando foram apresentados, ele fez uma piada, esperando ser apreciado. Ela riu extremamente forte, esperando ser apreciada. Depois, cada um voltou para casa sozinho em seu carro, olhando direto para a frente, com a mesma contração no rosto.
O homem que apresentou os dois não gostava muito de nenhum deles, embora agisse como se gostasse, ansioso como estava para conservar boas relações a todo momento. Nunca se sabe, afinal, não é mesmo não é mesmo não é mesmo.

(Micro-conto de abertura do livro "Breves Entrevistas com Homens Hediondos", de David Foster Wallace, tradução de José Rubens Siqueira)

Postar um comentário

Leia também!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...