terça-feira, 24 de novembro de 2009

Fernanda Petit escreve sobre MAKING OF



A grande amiga Fernanda Petit, colaboradora do Sarcáustico e atriz do "IntenCIDADE 1ª: VOAR" nos enviou um email muito querido, no qual ela revela impressões bem delicadas sobre o nosso MAKING OF, que vem lotando em todas as apresentações e vem agradando - e muito! - as pessoas. Abaixo, as palavras de Petit:





Making of
Não há melhor título para esta peça "Making of" já que isto significa processo de fazer-se algo.
O amor é um processo até se chegar num filme realmente de amor.
Talvez tenhamos que repetir as cenas várias vezes e se perguntar o que faltou:
tesão?fumproarte?élan?
No amor todo dia falta alguma coisa ou tem em abundância
O amor talvez sejam imagens projetadas de filmes na tela.E amor podia ser só imagens bonitas.Podia ser uma sucessão de slides que uma diretora aperta o botão compulsivamente e feliz.
O amor é aquele olho pixado na tela.Quando se ama parece que nosso olho tem um coração desenhado com spray.Spray é difícil de se retirar
Então quando se ama a gente se enlouquece como Constanza Macras e dança até não aguentar mais.O nosso corpo dança a dança frenética do coração.
Onde tudo é possível.Onde se transa como um gorila.Ou se deita delicadamente no sofá se fazendo carinho.Quando um beijo voa da tua boca para o rosto do outro.Tudo parece musical,com passarinhos.Todo dia ele talvez possa te fazer sentir a princesa(mesmo que alguns dias erre feio e te faça resbalar do skate)
Quando não se tem amor a gente se sente a princesa paraplégica tentando alcançar a coroa.
Quando não se tem amor dá vontade de mandar coisas tomarem no cu
E não digo amor só de homem por mulher,digo também esse amor próprio
Eu sempre achei que vida sem amor é solidão demais.Solidão da janela do gasômetro,vendo a lua e as estrelas.Vendo aquele barco sumir na escuridão
O amor é bom me digam isso.Digam que é demais e vale à pena ir na tua casa de madrugada e se amar até de manhã.Diga que vale à pena as risadas e as dificuldades compartilhadas.
Já é comprovado amor não se instala no coração.
mas sim no cérebro.Bem mais bonito achar que está no músculo.Parece que lá ele fica melhor armazenado,por que no cérebro ele se mistura com lembranças ruim.No cérebro ele se mistura a medos, prioridades,receios e bla bla bla.
O amor é bom quando são corpos nus colados no vidro do box do banheiro.Quando duas respirações viram uma
Amor é quando tu liga o som naquela música do Queen e insiste várias vezes
Amor é a gente falando com o mundo.Perguntando:podem me encontrar um alguém para amar?
Amor é quanto tu liga a câmera e tenta várias vezes até chegar pelo menos no essencial,no que toca,no que capta os mínimos detalhes
Quem dera as coisas não chegassem a cadeiras sendo jogadas e chutadas.A pessoas jogando roupas para o alto ou levando roupas alegando irem à lavanderia.
Quem dera o amor não fosse aquela frase:eu tô indo embora.Parece que esta frase desencadeia todas aquelas idiotices amenizantes gritadas do sofá.Quem quer ser levada para irmã?Ou entender que o problema é ele e não tu
Ah amor tem que ser brincadeira divertida no sofá caindo.Tem que ser Titanic sem fim trágico.
Amor não precisa ser vários presentes sendo empurrados a ti até te espremer na parede.Não precisa ser "eu te amo" a toda hora e nem "te adoro".
Amor pode ser aquela surpresa de um beijo inesperado
Amor pode ser a maluquice dos guris se beijando em cena
Amor pode ser igual aos atores se despindo de seus medos e receios no palco
Todo mundo que é casal ou tenta ser devia brincar de mímica no dia a dia pra se descobrir e rir.Todo mundo devia fazer sua dança juntos,criar seus passos.Sem palavras,apenas o corpo fala.
Não venha com ursinhos,nem rosas,nem tente imitar aquela cena do 10 coisas que odeio em você
Fale de sua infância,da sua famíla,peça colo,peça música,peça um xis para comermos de madrugada,concorde que coca-cola em lata é melhor que de garrafa.
O making of toca por que não chega a tocar.Quando talvez tu desacredite no amor por um momento ele te levanta.Ele não te dá lenços ao entrar na sala
Ele te dá pequenos momentos poéticos
Te dá vontade de beijar o cara sentado ao teu lado.Te dá vontade de segurar na mão do cara ao lado e dizer:fique o tempo necessário e bonito.
Making of é não leve tudo tão a sério as coisas podem ser menos doloridas
Makking of é como Menthos(rsrsrs)arde no começo ao mastigar, mas depois fica gostoso de se mastigar
Eu talvez veja o amor como forma sofrida.Ao pensar pela primeira vez em O amor não é um filme,pensei naquelas coisas que a plateia saía com lenços e pensativos.Mas talvez aprendi com vocês e com a vida que não se pode levar tudo tão à sério.Talvez tenha que prosseguir com o mesmo sorriso que eu estava na plateia. mesmo que as coisas não sejam infinitas.
Coração quebra.Tem uma hora que nem super bonder ajuda,por que super bonder seca rápido na embalagem
Mas sempre se tem esperança de uma volta,de um (eu quero voltar,eu quero tentar,eu quero não ter medo)
Amor é brega como pagode.A gente esconde que não escuta,que não curte,mas curte simmmmmmmmm. E pior que a letra a gente decora e canta rindo.
Making of é bom porque é bem começo de relacionamento.Energia a mil,olho brilhando e muitas ideias
Então que permaneça Making of na vida,saca?
Sarcáustico continua mais instigante,louco e absurdo...e eu gosto.Talvez eu seja medrosa para tá junto
Mas acho que tô junto sim...o meu sorriso e meu coração entra com vocês em cena
Amem..amo é o que digo...até que as coisas durem




Ah, e não esqueçam: ÚLTIMA APRESENTAÇÃO DO MAKING OF neste próximo sábado, às 19h. APENAS 25 LUGARES!!!
Postar um comentário

Leia também!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...