domingo, 19 de agosto de 2012

Projeto estreita laços entre premiados no Braskem em Cena



Gabriela Grecco (Cia. Santa estação), Mário de Ballentti (Caixa de Elefante), Guadalupe Casal (Teatro sarcáustico), Marcelo Réstori (Falos & Stercus), dramaturgo Diones Camargo e Luciano Alabarse, coordenador do Porto Alegre em Cena<br /><b>Crédito: </b> Fabiano do Amaral
Gabriela Grecco (Cia. Santa estação), Mário de Ballentti (Caixa de Elefante), Guadalupe Casal (Teatro sarcáustico), Marcelo Réstori (Falos & Stercus), dramaturgo Diones Camargo e Luciano Alabarse, coordenador do Porto Alegre em Cena
Crédito: Fabiano do Amaral
"Conexão Braskem em Cena" é um projeto inédito foi lançado na noite desta quinta-feira, no Santander Cultural, com a presença da comunidade artística e patrocinadores, dentro do 19º Porto Alegre em Cena, que ocorrerá em setembro, sob a coordenação de Luciano Alabarse. A iniciativa é patrocinada pela Braskem, que completa sete anos de parceria com o festival, premiando os talentos locais em cinco categorias (Espetáculo, Direção, Atriz/Bailarina, Ator/Bailarino e Espetáculo pelo Júri Popular).

A ideia surgiu a partir de uma provocação do diretor institucional da empresa, Rui Freire, no sentido de dar uma continuidade e fazer com que o Prêmio Braskem se tornasse um processo de aprendizagem. "Foi muito feliz reunir grupos de várias linguagens e um desafio focar esta sinergia e construir uma obra que é um sucesso à parte, no centenário de nascimento de Nelson Rodrigues", afirmou.

A proposta é construir um espetáculo baseado na obra do "Anjo Pornográfico", escrito por Diones Camargo, encenado pelos quatro vencedores do ano passado - Falos & Stercus, Santa Estação Cia. de Teatro, Teatro Satrcáustico e Caixa do Elefante - com a direção de Marcelo Réstori, Jezebel de Carli, Guadalupe Casal de Mário de Ballentti. "A proposta é que tenha impacto, com texto inédito, interpretado por grupos importantes, que há meses estão trabalhando juntos", diz Alabarse.

"Algumas cenas foram divididas e outras foram feitas juntas e levamos um tempo para exercitar o diálogo", contou Marcelo Réstori, do Falos & Stercus, que tem se afirmado pela fisicalidade e o uso de técnicas como o rapel. À frente da Cia. do Elefante, com 20 anos de trajetória, Mário de Ballentti, ressalta a variedade de linguagens do teatro gaúcho, percebida em festivais como o Cena Brasil, segmento Cena Gaúcha, que ocorreu em Goiânia e Brasília. "Talvez por estar longe do eixo Rio de Janeiro-São Paulo é que ainda persiste um trabalho de grupo, bom para desenvolver linguagens. Isto só se consegue após muitos anos, com uma indentidade", frisa. As reuniões tiveram início em fevereiro e em abril os 25 atores envolvidos cursaram oficina com o ator Nicolai Sergei, do Theatre du Soleil, sendo seguidos os ensaios, de maio até a estreia. Intitulado "Os Plagiários: um Inventário Ficcional Sobre Nelson Rodrigues", o resultado será apresentado de 5 a 7 de setembro, no Centro Cenotécnico do Estado.

Para o autor desta montagem, o bacana foi realizar um antigo sonho, ao montar Nelson Rodrigues. Inicialmente chamado para fazer uma colagem de suas obras, Diones Camargo sugeriu "Vestido de Noiva", usando os três planos: alucinação, realidade e memória. Mas aos poucos decidiu que o repórter que está entrevistando o dramaturgo é um escritor sem talento: pesquisou tanto sobre ele, que tentou escrever uma obra com a mesma potência, mas não conseguiu, o que explica o título da peça. "Normalmente um diretor já dá trabalho, e quatro é muito pior", declarou. "Escrevo para teatro e estamos falando do representante maior do teatro brasileiro, com toda a justiça", concluiu. 

Fonte: Vera Pinto/Correio do Povo
Postar um comentário

Leia também!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...