quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Trecho de "A Vida Sexual dos Macacos"




Prá vcs ficarem com água na boca, vejam acima a prévia do cartaz de "A Vida Sexual dos Macacos" (arte de Ricardo Zigomático sobre foto de Patrícia S. Lessa) e leiam abaixo um trecho do texto (escrito por Daniel Colin e Felipe Vieira de Galisteo):

"Felipe e as cabras: não, não, brincadeira. Embora eu conheça muitas pessoas que... Não, na verdade eu não conheço, não assim, pessoalmente, pelo menos nunca ninguém me contou algo do tipo, eu sei de casos, apenas isso, casos de pessoas, homens principalmente, já ouvi muito falar sobre esse tipo de coisa, sobre homens, principalmente homens que moram no campo e que se utilizam de cabras, ou de qualquer outro tipo de animal que viva em uma fazenda, para satisfazer suas necessidades sexuais, digamos assim. É, isso mesmo, necessidades. Já pensaram vocês, com sei lá, com, com, com 19 anos, por exemplo, 19 anos meus Deus!, agüentando no osso que sua única e mais fiel parceira seja sua própria mão? Eu poderia muito bem ser um rapaz do campo e ter me iniciado barranqueando uma cabra, ou uma porc... Eu disse mesmo isso? Bom, espero que vocês não tenham ouvido. Felipe e a perda da virgindade: Quando se está louco prá... vocês sabem... tanto faz o buraco. Porque, afinal de contas, buraco é buraco... Eu disse isso? Tijolos, frutas, garrafas, bonecas infláveis... Meu Deus, eu to dizendo isso?! No Japão, por exemplo, existem o que eles chamam de sexy dolls, elas são tão perfeitamente deliciosas e quentinhas e... e... Bem, eu poderia ter perdido com uma prostituta, muitos caras começam com prostitutas, às vezes eles são até obrigados a isso, eu poderia muito bem também ter sido um desses caras, eu talvez até preferisse ter sido obrigado a transar com uma prostituta, mas, foda-se! Eu não fui! Na verdade foi com uma garota que eu... Ela era uma garota comum, eu achava. Uma garota normal. E ela até era bem legal, gostava de rock´n roll, blues e assistia a filmes da nouvelle vague e tudo mais, mas isso não significa que ela precisava viver como nos anos 60, porra! Ela era alguma espécie de hippie por acaso? Bom, pode até ser, mas o fato é que... como dizer isso sem ofendê-los?! É que... é que a buceta dela fedia demais! Pronto. Falei."
A
Ah, e não esqueça: segunda, dia 20, vai rolar o ENSAIO ABERTO da peça na Sala 302 da Usina. Manda um email prá nós prá garantir o teu lugar.
Postar um comentário

Leia também!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...