sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

PRATO FRIO vem aí!


Como nossos seguidores já devem saber, semana que vem estreia o espetáculo de conclusão da 1ª turma do Curso de Formação de Atores do Teatro Sarcáustico: PRATO FRIO (porque parente bom é parente morto), uma comédia de humor negro que questiona os conceitos familiares da sociedade brasileira.

Depois de 15 anos afastada de casa, Filha volta para se vingar de sua família, a qual não vê a hora de colocar a mão na herança da avó rica. Falsidade ideológica, traumas de infância e personagens imorais fazem desta comédia um jantar ligeiramente indigesto – mas delicioso!

Partindo da improvisação dos alunos-atores sobre temas ligados à família, Daniel Colin e Felipe Vieira de Galisteo (Prêmios Tibicuera e Açorianos de Melhor Dramaturgia 2008, por Jogo da Memória e A Vida Sexual dos Macacos) dirigem e escrevem a dramaturgia inédita do espetáculo, que utilizará toda a extensão da sala 309 da Usina do Gasômetro para trazer à cena esta história de vingança.
O espetáculo focaliza sobre a questão da identidade de cada personagem e como cada um deles vai perdendo essa identidade à medida em que tentam ser outras pessoas prá conseguir o que desejam.
PRATO FRIO (porque parente bom é parente morto) quer dialogar com todos os outros espetáculos do TEATRO SARCÁUSTICO, que utilizam sobretudo o humor negro sobre temas tabus para discutirem a conduta das pessoas na nossa sociedade.


E prá deixar a galera ainda mais com água na boca, lá vai mais um trechinho do texto inédito:

Filho – Você sabe que eu te amo. (Eles se beijam.) Tenho uma novidade.
Noiva (histérica) – Eu também! Eu também! Eu também! Eu to grávida!
(Silêncio.)
Noiva – Que foi amor, algum problema?
Filho – Deus meu! Você está falando sério?
Noiva – É claro que estou. Acha que eu iria brincar com uma coisa dessas?
Filho – Nossa! É... É ótimo. Bem, eu... Nem sei o que dizer... Hã... O filho é meu?
Noiva – Quê???
Filho – Perguntei se o filho é meu. Sabe como é, meu amor?
Noiva – Não, meu amor! Eu não sei como é. Me explica!
Filho – A gente precisa ter certeza absoluta quando acontece uma coisa dessas na nossa vida...
Noiva – Eu não acredito que estou ouvindo isso. Estou seriamente ofendida, Álvaro. Tão ofendida que sou capaz de não ter esse filho!
Filho – Mas amor, como quer que eu pense diferente? Você sempre passou de mão em mão como um pote de amendoim salgado nas festas da faculdade...
Postar um comentário

Leia também!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...